dpjgblog

segunda-feira, junho 05, 2006

Música Católica também para discoteca


São 12 faixas de temas originais com uma sonoridade que abarca o pop-rock ou até o pop-funk, incluindo uma versão para discoteca (remix). O CD (Abraços) da Banda Jota nasce como resultado de um projecto criado por vontade do departamento da Pastoral Juvenil da Diocese da Guarda, e com o objectivo de servir de apoio a algumas actividades. A Banda Jota nasceu em 2003, e desde logo percebeu que seria possível “ir mais longe, quer pelos temas originais que íamos compondo quer pela aceitação que tínhamos, aqui na diocese”, comentou o Pe. Jorge Castela, responsável pelo Departamento da Pastoral Juvenil da Diocese da Guarda.
Os concertos foram, então, surgindo e, ao mesmo tempo, a necessidade de gravar um CD, “pela partilha que assim podíamos fazer”, explica.
Este é “um CD que surge sem grandes pretensões, e pelo tipo de musicalidade usada pode ser oportuno e muito útil para a evangelização e animação juvenil”.
Constituída por 10 elementos, jovens de várias partes da diocese, a Banda Jota define-se “pelas iniciais de coisas importantes, pelas quais nasceu o grupo, refere o sacerdote que é também um dos vocalistas da Banda Jota. “O grupo nasceu para Jesus (J), e para os Jovens (J). E nós assumimos isso como apanágio do grupo”.
Os temas que compõem este CD são compostos pelos diversos elementos da banda, daí resultar neste primeiro trabalho um “misto” de alguns géneros musicais, ilustrados pela mensagem cristã que o grupo pretende transmitir. “É como se fosse um abraço... a Deus e de Deus, a nós”, releva o Pe. Jorge, o autor da maior parte das letras cantadas, e justificando o nome do CD. Sobre as preferências neste disco diz, gracejando, que “ a versão remix, para discoteca”, de um dos temas, é a preferida.
O lançamento do CD (A)braços decorreu este Domingo no auditório da casa Bento Menni, na Guarda, e os concertos, se antes já existiam, a partir de agora, certamente não irão faltar. “No sábado já temos um concerto, e há outros agendados”.
in Ecclesia

18 comentários:

opensador disse...

Parabéns!Votos de amplo sucesso:)

Anónimo disse...

Estamos na época daquilo que é suave e passa depressa. Pelo que vi e ouvi na apresentação do cd Abraços também irá passar depressa. Tinha outra espectativa tendo em conta o anterior cd feito pelo mesmo secretariado (com outra equipa)- Cidade Juvenil. Não posso deixar de lamentar o exibicionismo e a vaidade excessiva de quem se esperava mais humildade (o responsável diocesano). Não se limitem a fazer coisas, mas façam bem e com algum sumo.
Pe. Diocesano

Joao Albuquerque (Neco) disse...

Tive muita pena de não poder ter estado presente na apresentação, pelo que sei correu bem, e ainda bem.
Já tenho saudades de vos ouvir tocar.
Parabens pelo sucesso e por aquilo que voces tem feito por mim, e julgo que pelo resto da diocese.

Aquele abraço
O menos anonimo, Neco :)

Pe. Matos (coff coff) disse...

Custou mas ja cá está. E está pra durar este cd. Parabéns pelo esforço e pelo trabalho. Deus se encarrega de tratar do "resto". Agora é é seguir o caminho que Ele nos deixou.

João Gomes disse...

Porque conheço de forma especial aqueles que foram referidos no comentário do "anónimo", sinto vontade de dizer algo.

Engraçado... falam que "os jovens de hoje já não são como antigamente"... "agora não se faz nada"... "querem é boa vida"...
Engraçado que há, na nossa Diocese (que é nossa e é também de Deus), dez jovens que quiseram, por iniciativa própria, oferecer a mim e aos outros jovens, mas sobretudo a Deus, os seus dons, o seu tempo, o seu amor... eles próprios... tal como Deus nos pediu a todos! Eles fizeram-no! Fazem-no!
Se isso não é humildade, se isso é exibicionismo ou vaidade... então está tudo ao contrário...

Apeteceu-me ignorar o comentário. No entanto, pensei no que sentiriam os que dão um pouco de si a Deus... qual a sua motivação para continuarem a trabalhar para Deus quando tem esta resposta...
Quero dizer que acredito neles e que quando usufruo do trabalho em que eles se empenham para mim e os outros jovens, quando oiço e canto com a Banda Jota, quando por eles conheço mais a Deus, sinto-me mais perto d'Ele... sinto-me mais seu filho... e imagino que isso seja o que Ele quer de quem o anuncia.
Eu estou convosco!!! :)

Para finalizar (e porque há naquele comentário uma acusação forte a uma pessoa que conheço e admiro), costumo imaginar que as pessoas boas, aquelas que nos fazem gostar mais de viver e que mais se entregam a todos nós, devem ser para Deus uma espécie de investimento bem sucedido... imagino que Ele deve pensar "hmm ainda bem que o pus na terra, fez render os seus dons", e no fim de dizer isto, Deus deve sorrir com um sorriso largo de Pai. :)
A pessoa que foi acusada é sem dúvida um desses investimentos bem sucedidos... digo-o porque conheço a forma como se entrega aos jovens da diocese, a forma como ama a Deus e a forma como o anuncia.

Um grande abraço de Parabéns à Banda Jota... e já agora a Deus! :)

João


P.S. - ai ai... acho tão ridículo fazer acusações sobre a moral de alguém e depois e não dar a cara... que grande moral... que grande exemplo de Deus... digamos... um exemplo "com algum sumo"...

Zélia Botas disse...

Fiquei indignada com o padre anónimo. Costumo ler sem comentar, mas hoje não resisti. Estou cansada desta Igreja ou da hierarquia desta Igreja que não tem sequer um mínimo de caridade fraterna, os padres não dão exemplo nenhum de caridade com o próximo. Digo isto porque embora respeite opiniões diferentes da minha, acho que o lugar certo para a correcção fraterna não é por detrás de um teclado, mas cara a cara como amigo. O senhor padre anónimo fala de outro padre (ainda por cima confunde um concerto ou um grupo com uma pessoa!), mas o comentário que faz no anonimato e num local errado, demonstra igualmente o calibre, a falta de carácter e personalidade, a falta de caridade e fraternidade sacerdotais, e sobretudo muita falta de humildade. Que Igreja temos nós, meu Deus!!! quando os padres são assim exemplos de uma fé que é apenas funcional, ou melhor, disfuncional! Consola-me o facto de a maior parte dos leigos não ser assim, e os leigos que estiveram presentes no concerto e que falaram comigo ou com quem falei, deram as opiniões mais positivas que se podiam dar. E os cds venderam bastante. Logo, é porque valeram a pena o concerto e o cd!
Eu também estive presente no concerto e não achei nada do que este senhor padre anónimo afirmou. Eu senti que era Deus que cantava para nós e connosco, e acho que este projecto é um projecto lindo e que pode fazer muito bem a muita gente, sobretudo jovens. Aliás, as provas estão á vista: os muitos jovens que cantam para Deus com as suas músicas, e os que fazem oração com algumas delas.
Também gostei e continuo a gostar muito do cd que a anterior equipa pastoral elaborou. Se precisar sei onde se podem comprar mais. Quantos comprou? Quantos ofereceu? Quantas vezes cantou músicas desse cd? Quantas vezes levou jovens a ver concertos desse cd? Caro padre anónimo, estou convicta que esse cd Cidade Juvenil fez e faz muito bem a muita gente. Mas não faço saudosismos, porque foi outra época e outra sonoridade; agora aproveitemos esta. A Diocese devia estar orgulhosa por ser capaz de concretizar projectos assim. O que vale é que a diocese não é apenas este padre anónimo. Falei com diversos padres dos que estiveram presentes no concerto e eles garantiram-me que gostaram muito. Não haverá por ai uma ponta de inveja?
E quanto ao que afirma sobre o fazer coisa, digo-lhe que os frutos avaliar-se-ão daqui a uns tempos. Há muito trabalho escondido que o senhor não vê, muitas horas a construir projectos e a reflectir sobre o que esta diocese precisa.
Detrás do seu teclado, que pode ser mais transparente do que o que julga, me pergunto que projectos já trouxe para esta diocese, e que mais valia será a sua vida sacerdotal! Não se pode garantir que o seu trabalho pessoal não seja também suave e passageiro.
Não quero mais deitar achas para a fogueira. Estou quase a cair na mesma falta de caridade.
Termino dizendo que Jesus também não agradou a toda a gente. Mas todos falavam e falam Dele, bem e mal (infelizmente).
E não é a mim que me pertence julgar, mas a Deus. Espero que Ele julgue este padre anónimo com mais amor do que ele julga os outros.

Migalhas disse...

Caro "P.e Diocesano":
Um P.e Diocesano anónimo? Não acredito! deixa que te diga uma coisa: tem vergonha nessa cara! Primeiro que tudo, sê honesto contigo mesmo.
Estamos fartos de Padres anónimos que não fazem nada e não deixam fazer.
Será que tens ciúmes, dor de cotovelo?
Desculp estar a ser tão duro contigo, mas não fui capaz de reagir doutra maneira.
Respeita o trabalho dos outros para que também respeitem o teu trabalho. Por que não tentas fazer melhor? Força! Terás o meu apoio.
Também sou Padre. Talvez não da tua Diocese, mas de outra. Desejo-te todas as bênçãos de que necessites.
Ai estas ciumeiras clericais!!!!!!

Força, Banda Jota!

Um Padre (não anónimo) que já vos ouviu num concerto nocturno em Viseu (o ano passado). E que vos agradece por me terem ajudado a rezar naquela noite gelada de Julho.

Abraços

Pe. Carlos disse...

Pe. Jorge estou contigo.
E, eu como padre diocesano da Guarda, não estou nada de acordo com o anónimo e se estivesse já sabes que te diria a ti pessoalmente.
Continua, porque vale a pena evangelizar através da música religiosa contemporânea e porque tens na banda jovens que são para mim um exemplo de fé...
Já fazia falta uma banda de música religiosa contemporânea na diocese da Guarda.
Se alguém não gosta das musicas que, com tanto carinho escrevestes, têm sempre a oportunidade de colocarem mãos à obra e fundarem uma banda. E certamente tu, como responsável do Departamento, irás apoiar.
Eu vou divulgar o vosso trabalho, eu vou fazer tudo para que a mensagem chegue mais longe...
E já sabes Celorico está convosco...
Parabéns Jorge, Teresa, Susana, Rui... BandaJota. Quando vierdes a Celorico já sabeis que vamos estar lá em peso. Parabéns!

Jovem disse...

Provavelmente o Sr. Pe Anónimo que deixou o comentário menos elogioso quer é guerra. Apenas quero deixar uma palavra para a Banda Jota...espero que o CD seja um sucesso e sirva como um "caminho" para aproximar os jovens de Deus. Na minha modesta opinião são pessoas como o Sr. Pe Anónimo que afastam os jovens da Igreja e depois ainda reclamam...Eu digo muita vez que as portas da Igreja estão abertas a toda a gente, mas parece que há sempre alguém interessado em fechá-las!!

Sumaf :) disse...

Olá! Vim apenas aqui dar um pulinho para dizer que gostei muito da tarde de domingo... Por acaso vi o concerto de um lugar consideravelmente privilegiado: do palco! :) Foi muito bom ver tanta cara a espelhar Cristo (tão bem) Ressuscitado! São momentos como este que nos dão força para abdicar de tanta coisa e de tanto tempo em função dos outros. Cada vez compreendo mais a função -que tão difícil se torna- de evangelizar. Mas, como me ensina o meu pároco em cada homilia (sim, porque eu sou católica praticante, não sou só exibicionista, eh eh) é nestas alturas que se deve levantar a mão firme e gritar bem alto o nome d'Ele... sem medo!
Foi isso que eu tentei fazer.
Foi isso que a BandaJota fez ao rezar em conjunto segundos antes de entrar em palco.
É isso que o cd, de mão em mão, vai fazendo sozinho!
É a semente a frutificar!
Obrigada a todos os que me ajudam a ser mera semeadora*
Beijinhos!
Susana.

Anónimo disse...

como é que é possívell existirem pessoas assim.... Senhor Padre acha que são esses os comportamentos que vocÊ deve ter? è normal que tenha uma opinião diferente das outras pessoas, mas não ser capaz de dar a cara....será que não existe por de tras disto um pedaço de inveja? A minha opinião referente à BandaJota é bastante diferente da sua (GRAÇAS A DEUS), mas uma coisa lhe garanto que caso partilha-se da sua opinião, eu como verdadeira cristã que sou, assumia as minhas opiniões. mas o mais engraçado de tudo é que ainda tem a lata de dizer que é padre..... como é que o Reino de Deus ade crescer, quando existem pessoas que deviam de ser as primeiras a apoiar e a agradecer,são as primeiras a deitar a baixo um trabalho lindo.
Pois eu digo-lhe uma coisa, tive a sorte deste ano participar no C.F.1000, e lá conheci gente da BandaJota, eles não fazem isto por vaidae, e sabe porquê?porque eles tem noção do que realmente vale a pena.....
Como é que você se sentiria se alguem chegasse ao pé de si, com estas palavras "As suas homilias não me transmitem nada", sentiria-se triste. Imagine a a dor que causou no coração do Senhor, ao dizer-Lhe que a força que Ele deu a esta banda, irá ser passageiro.
BandaJota, eu sei que vocês tem uma força enorme, e que não vao ligar a isto porque realmente isto não contem "sumo nenhum"
Joana Tomaz


P.S: Quem não dá a cara é porque teme, algo.....

Anónimo disse...

como é que é possívell existirem pessoas assim.... Senhor Padre acha que são esses os comportamentos que vocÊ deve ter? è normal que tenha uma opinião diferente das outras pessoas, mas não ser capaz de dar a cara....será que não existe por de tras disto um pedaço de inveja? A minha opinião referente à BandaJota é bastante diferente da sua (GRAÇAS A DEUS), mas uma coisa lhe garanto que caso partilhásse da sua opinião, eu como verdadeira cristã que sou, assumia as minhas opiniões. mas o mais engraçado de tudo é que ainda tem a lata de dizer que é padre..... como é que o Reino de Deus ade crescer, quando existem pessoas que deviam de ser as primeiras a apoiar e a agradecer,são as primeiras a deitar a baixo um trabalho lindo.
Pois eu digo-lhe uma coisa, tive a sorte deste ano participar no C.F.1000, e lá conheci gente da BandaJota, eles não fazem isto por vaidae, e sabe porquê?porque eles tem noção do que realmente vale a pena.....
Como é que você se sentiria se alguem chegasse ao pé de si, com estas palavras "As suas homilias não me transmitem nada", sentiria-se triste. Imagine a a dor que causou no coração do Senhor, ao dizer-Lhe que a força que Ele deu a esta banda, irá ser passageiro.
BandaJota, eu sei que vocês tem uma força enorme, e que não vao ligar a isto porque realmente isto não contem "sumo nenhum"
Joana Tomaz


P.S: Quem não dá a cara é porque teme, algo.....

Catarina Horta disse...

Parabéns a Banda Jota!
Tive pena de não poder estar presente na apresentação do CD, mas tenho a certeza que foi memorável!
Vou já comprar o meu CD para vos ter sempre por perto!
Beijinhos!

Anónimo disse...

Meus amigos que se passa? Não quis fazer guerra com ninguém. Apenas fiz um comentário. Será que não há, neste Portugal, liberdade de expressão? Será que não esperavam críticas negativas (quando todos batem palmas é porque há algo que não está bem ou então a obra é perfeita (perfeito é só Deus)? Além disso é necessário dizer algumas verdades aos que se julgam o máximo e que depois deles só o dilúvio. Gostaria de recordar que o cristão é tolerante, alguns comentaristas deste blog parece-me que de tolerâcia não entendem muito. Não faço melhor,mas faço diferente (por isso o nosso mundo é tão belo e interessante). Um abraço amigo e tolerante aos que me quiseram fulminar.
Pe. Diocesano

Pedro Matos disse...

O problema não é fazer as críticas. O problema é voce que se diz padre estar a acobordar-se por detrás de um teclado. A sua crítica não foi dirigida a um grupo (Banda Jota) mas sim a uma pessoa (responsável Diocesano). Se o senhor não gosta dessa pessoa está no seu direito agora assuma desde logo a sua identidade e assuma desde logo que não gosta dessa pessoa. Que se critique um trabalho sim sem dúvida agora a maneira como crtiticou a pessoa em questão foi de modo como pretendeu atingir a pessoa. Isso sim é grave e estúpido sa sua parte. Essa crítica só denota uma extrema inveja (contrária aquilo que o senhor como padre devia ensinar). Eu estive no concerto em questão e não vi qualquer tipo de falta de humildade por parte da pessoa em questão. Se o senhor tem um projecto no qual se envolve dando muito do seu tempo é obvio que fique contente quando esse projecto está lançado. Se calhar o que lhe faz falta é estar sem projectos nenhuns ou ter alguns que são falhados. Antes de apontar o dedo seja a quem for sr. Padre deve olhar para si para o seu umbigo e ver as suas falhas só depois disso é que pode apontar o dedo seja a quem for.

Caramba voce já viu que se trata de um colega seu? Voce gostava que um colega seu lhe fisesse o mesmo? ponha-se no lugar contrário ao que está agora e pense um bocadinho.
Além disso não se esconda por detrás de um teclado, não lhe fica mesmo nada bem é que sabe: apesar de estarmos na internet e de estar anónimo tudo se sabe...

Desça do seu pedestal e sai um pouco da sua secretária e venha ao "terreno" falar com as pessoas afinal são elas que permitem que voce esteja onde está e são as pessoas que fazem a Igreja lembra-se???

Anónimo disse...

Talvez nã seja cobardia. O meu amigo Pedro já ouviu falar de retaliação?....
Fecho aqui a polémica (A)braços.

ruipda disse...

Para todos vocês Jotas (da Banda Jota)os meus parabéns pelo album que criaram, que ele nos ajude a criar e viver novos momentos com Jesus.

Votos de bons momentos músicais e mágicos (espiritualmente cristianamente especiais :) ) e com algumas vendas! Porque não?

Anónimo disse...

De facto, a cobardia não é louvável ,mas menos louvável ainda é dar a cara com um único intuito: criar um bom ambiente num grupo do qual se esperam muitos frutos.. Bem, deixemo-nos de rodeios e passemos para um discurso corrente: o que eu quero dizer é que todos vocês dão a cara porque vos interessa engraxar outrem, porque voz interessa dizer alto e a bom som bem do amigo x ou y..
Gostaria, no entanto, de dar os meus Parabéns ao Padre Jorge Castela, pois a minha crítica não é ao seu trabalho e atitude, mas sim àqueles que se aproveitaram deste post para daí colher sorrisos e simpatias (e quiçá favores) NB:não quero com isto pôr em causa a amizade que tenham pelo Padre Jorge, só discordo da necessidade que têm de assim a expor...